quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

[flipAut! 2017] Agradecimentos

Sem a colaboração e o apoio de muitos, o flipAut! 2017 não poderia ter acontecido. A união faz a força e determina o sucesso de um evento cultural como o nosso: colaborativo e sem fins lucrativos.
Poder contar com este apoio e patrocínio é fundamental para o bom êxito do festival literário alternativo de Pipa, este ano em sua oitava edição.
Por isso, encerrado o evento, chegou a hora de agradecer a todos os que, de alguma forma, permitiram a realização do flipAut! 2017 - 8º festival literário alternativo de Pipa.

Para começar, agradecemos nosso principal patrocinador: a Prefeitura Municipal de Tibau do Sul, que forneceu toda a infraestrutura necessária para a realização do evento: tendas, mesas, cadeiras etc. 
Contamos também com o apoio e parceria das Secretarias municipais de Educação (oficinas nas escolas), Turismo (logística) e Cultura (apresentação de grupo folclórico local), aos quais responsáveis vai nosso agradecimento.

Um evento cultural do tamanho do flipAut! 2017 não poderia acontecer sem o indispensável apoio do setor hoteleiro local, que se disponibilizou a oferecer hospedagem de cortesia para todos os convidados, os oficineiros, os feirantes e os membros da produção. A todos os que estão colaborando à realização do oitavo festival literário alternativo da Pipa, vai nosso agradecimento. 
Contamos, como sempre, com a apoio da Ashtep, Associação dos Hoteleiros de Tibau do Sul e Pipa. A seguir a lista das pousadas, hostels, hoteis etc que concederam seu apoio:

Apartamentos Gameleira
Bosque da Praia Apart Hotel
Chalet Brazil Tropical Village
Hostel Casa de Jack
Hostel do Céu 
Hostel Surf Camp Pipa
Hotel Ponta do Madeiro
Hotel Quinta do Rio
Hotel Recanto da Mata 
Pousada Arriba
Pousada Berro do Jeguy
Pousada Enseada dos Golfinhos
Pousada Mirage
Pousada Pé na Areia
Pousada Toca da Coruja
Pousada Zia Teresa

Contudo seja um evento sem fins lucrativos, o flipAut! tem uns custos vivos, bastante conteúdos por um evento deste porte, que conseguimos cobrir graças ao patrocínio dos MECENAS de PIPA, amigos, conhecidos, amantes da cultura e das belas artes, que, como o antigo grego Mecenas, apoiam os artistas e os eventos culturais locais.
A maioria deles prefere o anonimato, por isso, escolhemos um tempo atrás, identifica-los apenas como Mecenas da Pipa.

Contamos com a colaboração da Editora Sebo Vermelho de Natal, na pessoa de Abimael Silva, que, pelo quarto ano consecutivo, mandou imprimir a programação do evento.

O painel de 3m x 1,2m exposto no palco é uma pintura do artista Juliano Holanda, expressamente realizada para o flipAut! 2017.

A boa iluminação do palco do flipAut! e da tenda da Feira de Livros Novos e Usados, foi obtida graças a colaboração de André Steiner do Bar dos Calangos, que emprestou refletores e outras luminárias, e do eletricista Marcos Macri.

Para a alimentação dos membros da produção cultural, contamos com o apoio da Pizzaria Calígula e Pizzaria Pipa Brasil.

Desde 2013, contamos com a parceria firme e forte de Manoel Messias e seu som, este ano completamente renovado.

As palmeiras e outras plantas, que embelezaram a tenda flipAut!, a feira de livros e o palco do festival, foram disponibilizadas por nossos amigos Luiz Carlos e Sandrinha, da Pipa Plantas.

Agradecemos pela participação à Feira de Livros Novos e Usados do flipAut! os novos parceiros e os de sempre:

BIT - Biblioteca Itinerante de Troca
Book Shop Pipa
Editora Sebo Vermelho
Editora Jovens Escribas
Editora Castanha Mecânica
Estação do Cordel
Sebo Zahir
Sebo Chico
Sebo Cata Livros
Seburubu

Agradecemos o pessoal do Espacio Tantra e do Estudio Inspirarte, que se apresentaram na Praça do Pescador na abertura oficial do evento, assim como o grupo Coco Catimbozado e o grupo folclórico Boi de Reis de Cabeceiras, que se apresentaram no domingo.

O Circuito Cultural deste ano foi menor que o do ano passado; concentramos as atividades fora da praça na Refugo Galeria, no Espaço Marina e na Pizzaria Calígula, nossos parceiros, enquanto outras exposições de arte ficaram no Bistrô Maya - Art & Café, Boobalai Bar e Pizzaria Pipa Brasil. Valeu!

A placa da Feira de Livros Novos e Usados do flipAut! é obra de Chico Martins. 

E ainda assim, devemos ter esquecido alguém...
Obrigado a todos !!! Próximo ano vai ter mais !

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Fanzines de Elisa Beatrix e selo A Marte na Feira de Livros novos e usados do flipAut! 2017


A Marte nasce como um selo de publicações independentes com o FlipAut 2017, pelas mãos de Sol Rodriguez, a disseminar suas produções literárias pessoais. Nesta primeira versão de A Marte, os livros artesanais feitos com materiais recuperados e reutilizados trazem o conceito de que "o meio é a mensagem" de Marshall Mc Luhan, e entre outras coisas, pretendem incentivar que práticas individuais se tornem coletivas, na preservação do meio ambiente. 
De forma criativa e sustentável, radiografias se tornam capa e fotocópias de textos universitários e mapas de Buenos Aires,as folhas, ganhando vida por meio da tinta natural de beterraba e colagens de revistas antigas no estilo fanzine. Todos os materiais interagem artisticamente com a idéia de gerar um objeto único com conteúdo que desafia o leitor. 

Em uma época em que a cópia é tradicional, um livro de artesanato surge como uma alternativa. Elisa Beatrix é jornalista não praticante, oficineira esporádica e desde sempre comunicadora. Fanzineira ativa há dois anos - e movida pelo faça você mesma - descobriu nessa mídia independente a potência de democratizar a informação. 
Desde então tenta inspirar a si e xs outrxs e estimular essa prática de corta-cola-xeroca-publica. Acredita que o fanzine é a forma (impressa) mais acessível de expressão artística e produção do conhecimento.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Aspectos Histórico-Geográficos do Trecho Litorâneo Entre a Praia de Tibau do Sul e O Rio Sibaúna - Lançamento do livro de Olavo de Medeiros Filho

Em novembro de 2016, George Nobrega de Medeiros, filho do historiador Olavo de Medeiros Filho, voltou a Natal após alguns anos de ausência.
Folheando os papeis, encontrados em uma gaveta da escrivaninha do pai, percebeu tratar-se de um estudo inédito, que Olavo de Medeiros Filho, falecido em 2005, estava ainda aperfeiçoando, antes de publicá-lo.
Observando os papeis com maior atenção, George descobriu que o pai tinha encontrado novas referencias para seu estudos sobre o Litoral Sul do RN nos séculos anteriores.
Sem demora, foi conversar com Abimael Silva, sebista e editor natalense, que, interessado pelo material inédito contido no estudo de Olavo de Medeiros Filho, decidiu dar uma organizada à papelada que George lhe mostrou e lançar um livro póstumo do historiador norte-rio-grandense.
 Olavo de Medeiros Filho, caicoense, nascido em 1934, prestou grandes serviços à historiografia potiguar. Dentre as várias obras que levam seu nome, despontam preciosidades como "Índios do Açu e Seridó" e os "Holandeses na Capitania do Rio Grande".
Sexta 8 de dezembro, no palco do flipAut! às 21h30, George Nobrega de Medeiros e Abimael Silva vão contar-nos mais pormenores a respeito disso, durante o lançamento de"Aspectos Histórico-Geográficos do Trecho Litorâneo Entre a Praia de Tibau do Sul e O Rio Sibaúna".
Não perca!

Abertura oficial do flipAut! 2017 - Apresentação de dança do Espacio Tantra e convidados

 
“ A bailarina gostava tanto de poesias que 
resolveu fazer as suas com seu próprio corpo” 

Bons parceiros se cultivam com amor e carinho. Pelo terceiro ano consecutivo, o flipAut! - festival literário alternativo de Pipa - será aberto oficialmente por uma apresentação inédita e única, especialmente criada pela ocasião, por Natalia Fernandez Acquier e Sandra Almeida, do Espacio Tantra. 
Este ano, elas convidaram a participar da dança de abertura do flipAut! os bailarinos do Estudo Inspirarte e o violonista Leandro Floriano Garcia Pereira. 
Não perca!
Quinta-feira, 7 de dezembro às 18h - Abertura Oficial do flipAut! 2017 - na Praça do Pescador - PIPA/RN
 

Cartas Para A Alemanha - no flipAut! 2017


O Espetáculo Cartas Para A Alemanha pretende realizar uma apresentação que traga uma reflexão sobre a condição da mulher negra junto a condição do deficiente visual. Tendo visto no cenário cultural a pouca participação ainda do protagonismo da mulher negra, ou melhor, da sua invisibilidade. E junto a este invisível, percebe se a quase inexistente inclusão do publico deficiente visual nos meios da apreciação estética nas artes em gerais, com mínimos recursos de possibilidades de acesso a cultura. Ou seja, num recorte social, tanto as mulheres-atrizes negras, quanto as (os) deficientes visuais, partilham de algum modo, desse não lugar de verem e serem vistas (os), nesta cegueira social. E assim a atriz/performer, Elze Maria Barroso, convida expectador a ouvir os limites entre o real e o ficcional e transformar suas memorias numa poética de experiências de imagens e sensações e busca através de uma narrativa performática com propostas relacionais de sensorealidade com as pessoas.

Sábado, 9 de dezembro, às 19h no Espaço Marina, rua da Gameleira, Pipa. Não perca esta apresentação que está concorrendo ao Trofeu Cultura 2017 do Papo Cultura, como Melhor Espetáculo de Teatro.

Texto: Elze Maria Barroso
Direção: Elze Maria Barroso
Assistente de Direção: Franco Fonseca
Atuação: Elze Maria Barroso
Direção de Arte, Figurino e Cenografia: Elze Maria Barroso
Assistente de Direção de Arte: Natã Ferreira
Cenotécnica: Natã Ferreira e Maíra Sara
Fotos de Divulgação: Anny Bezerra, Priscilla Melo e André Chacon

ALCAÇUZ -Tragédia, Riscos e Ofício - no flipAUt! 2017


Onde você estava no dia 14 de Janeiro de 2017? Os jornalistas potiguares, que cobriram a tragédia de Alcaçuz, contam com detalhes os riscos que correram para cumprir o ofício de informar ao Rio Grande do Norte, ao Brasil e ao Mundo. Os fatos que não foram relatados nos textos, fotos e vídeos publicados, eles contam no documentário ALCAÇUZ -Tragédia, Riscos e Ofício.
Estudantes de jornalismo da UFRN, em alusão aos 40 anos do curso, realizaram um evento, criado e produzido 100% por iniciativa dos alunos, para homenagear os jornalistas potiguares que se arriscaram em Alcaçuz. No dia 23 de novembro, após uma mesa redonda, o documentário "ALCAÇUZ -Tragédia, Riscos e Ofício" foi apresentado ao público presente. 
Personagens do documentário: Lauro Lima - TV Tropical, Rogério Fernandes - TV Ponta Negra, Jacson Damasceno - Band, Kleber Teixeira - InterTV, Rafael Barbosa - G1, Aura Mazda - Tribuna do Norte e Ney Douglas - Agencia EFE/Espanha
Na quinta 7 de dezembro, às 21h30, na Praça do Pescador, o flipAut! convidou alguns representantes dos CL4ND3STINO5 para debater sobre o tema e, a seguir, haverá a projeção do documentário no telão. Não perca!

Assista ao trailer online: https://www.youtube.com/watch?v=7o1iB-UoWJs

Homenagem a Antônio Pequeno - O Poeta da Pipa


O Barco do Amaro 
Quando eu saio em meu barco
pra um peixinho pegar
ouço um canto diferente,
um canto de admirar. 
Essa Sereia que canta
os peixes moram com ela
e eu no meu barco a vela
a vida é bordejar 
Esperando pelo vento
que me traga para o porto
nisso eu sinto grande gosto
de viver amando o mar 
O home que ama o mar,
ama os peixes, a Sereia,
ama as pedras, ama a areia,
o porto de ancorar.


A Poesia, como representação da alma do povo, floresceu na Pipa desde fins do século XIX, ou início do século XX, com vários poetas, principalmente Antônio de Moça de Pedro com suas "Loas" de "Bois de Reis", "O Nascimento do Aurora" e "Eu Vi". Na década de 40, surgem os primeiros "dramas" ou "Peças" dramáticos -musicais, e os "motes", ou versos políticos, escritos na época de eleições, representados, sobretudo, pelo poeta-motista José Fidelis da Costa.
A partir dos anos 50 é que Antônio José Marinho, começa a escrever seu poemas, trabalhando em seu sítio Vassourinha e pescando nos currais da Praia do Canto, hoje conhecida com Baía dos Golfinhos. Ao longo das décadas, "seo" Antônio Pequeno andou conquistando fama como poeta, prosador e compositor, até transformar-se numa verdadeira Memória Viva da Pipa.
Entrevistado por TVs e jornais, soube mostrar toda a poesia que existe no cotidiano do seu povo, e as emoções que já se eternizaram em seus escritos, que em muito contribuem pelo conhecimento e caracterização de uma época, pela quantidade de informações etnográficas, históricas, folclóricas, linguísticas, sociológicas, além do humor, da graça, dos trocadilhos.
Domingo, 10 de agosto, a partir das 20h, na Praça do Pescador, haverá uma linda homenagem ao Poeta da Pipa, Antônio Pequeno. No palco do flipAut! 2017, filhos, parentes, amigos e convidados vão relembrar muitas anedotas divertidas sobre "seo" Antônio e a Pipa de outrora. Não Perca!